Olá pessoal!

Hoje, na primeira parte do artigo, vou mostrar o grau de solubilidade de acordo com as fontes de fosfato utilizadas no Brasil.

Para um planejamento eficiente da adubação na cultura agrícola, você deve saber as opções de adubo disponíveis no mercado. Dessa forma, você terá vantagem na escolha correta do adubo utilizado.

 É importante, para o profissional, saber as diversas opções disponíveis no mercado de acordo com a eficiência agronômica. Acredite, você pode economizar com a adubação, por meio da alteração da fonte utilizada na lavoura.

É claro, somente um profissional capacitado, consegue analisar a fonte mais adequada para a cultura implantada na área. Esse profissional capacitado deve levar em consideração alguns detalhes.

Entre os detalhes a ser considerado temos: o tipo de solo, a fertilidade do solo, o tipo de cultura agrícola e o principal, a eficiência agronômica do fertilizante. São esses pequenos detalhes, que fazem a diferença na escolha da fonte de adubo fosfatado, bem como para os outros nutrientes.

Grau de solubilidade dos fertilizantes fosfatados.

A primeira variável considerada é a solubilidade do fertilizante fosfatado. A solubilidade é variável de acordo com o extrator:  solubilidade em água, solubilidade em citrato neutro de amônio e em ácido cítrico.

Quando você escolher a fonte de adubo fosfatada, você não deve esquecer da solubilidade dessa fonte. A principal variável, a solubilidade, é essencial para escolha correta da fonte de adubo. Abaixo, fiz um resumo das principais fontes e suas respectivas solubilidades.

O primeiro grupo, composto por superfosfato simples e triplo, o MAP, DAP e alguns fertilizantes que contem no mesmo grânulo N, P, K.

Tem como característica, uma de solubilidade do total em fósforo maior de 90% solúvel em água. O resultado dessa alta solubilidade em água, é a dissolução rápida no solo e a absorção eficiente pela planta.

No segundo grupo, temos as rochas fosfatadas nacionais. Em que, o fosfato foi parcialmente acidulado. A solubilidade desse grupo é 45% do fósforo total em citrato neutro de amônio mais água. Assim, o segundo grupo é caracterizado por média solubilidade em água e em citrato neutro de amônio.

O terceiro grupo, de fertilizantes fosfatados estão o termofosfato e fosfato bicálcio. A característica de solubilidade desse grupo consiste em ser insolúvel em água, e com 90% de solubilidade em citrato neutro de amônio e ácido cítrico. Assim, o terceiro grupo é caracterizado por ser insolúvel em água e altamente solúvel em citrato neutro de amônio e ácido cítrico.

O quarto grupo, de fertilizantes fosfatados estão os fosfatos naturais de alta reatividade, por exemplo: o Gafsa, Carolina do Norte, Daoui e Arad. A característica de solubilidade desse grupo é insolúvel em água, e com 32% de solubilidade em ácido cítrico. Assim, o quarto grupo é caracterizado por ser insolúvel em água e com média solubilidade em ácido cítrico.

E o último grupo, de fertilizantes fosfatados estão os fosfatos naturais do Brasil, por exemplo: o fosfato de Catalão, o de Araxá, o de Patos de Minas. A característica de solubilidade desse grupo é a insolubilidade em água e em ácido cítrico.

Eficiência agronômica dos fertilizantes fosfatados.

A eficiência agronômica do fertilizante fosfatados, consiste em fornecer o fósforo para a planta, a fim de aumentar a produtividade por unidade de fósforo aplicado. Isto é, a relação entre quilo de fósforo aplicado, de uma determinada fonte de fertilizante, e quilos da produção.

Você sabe o que define a eficiência agronômica dos fertilizantes fosfatados?

A eficiência agronômica dos fertilizantes é definida pela solubilidade em: água, solubilidade em citrato neutro de amônio e em ácido cítrico.

Quando você conhece a solubilidade do fertilizante, automaticamente você sabe a sua eficiência agronômica, simples assim.

De acordo com o tópico anterior, sobre solubilidade, você viu que podemos classificar as fontes de fertilizantes de acordo com os seis grupos. Na sequência dos grupos a classificação do mais solúvel e consequentemente o mais eficiente agronomicamente:

Grupo 1- superfosfato simples e triplo, o MAP, DAP e alguns fertilizantes que contêm no mesmo grânulo N, P, K;

Grupo 2- rochas fosfatadas nacionais parcialmente acidulado;

Grupo 3- termofosfato e fosfato bicálcio;

Grupo 4- fosfatos naturais de alta reatividade, Gafsa, Carolina do Norte, Daoui e Arad;

Grupo 5- fosfatos naturais do Brasil, fosfato de Catalão, Araxá, Patos de Minas.

Nesse artigo, como você pode ver, a solubilidade e a eficiência agronômica de um fertilizante são essenciais para reduzir custo e aumentar a produtividade da lavoura.

A minha sugestão é para levar em consideração a solubilidade e a eficiência agronômica ao comprar um fertilizante.

Você profissional, consultor das ciências agrária, nas propriedades rurais que prestam consultoria.

Tem levado em consideração, a eficiência agronômica, na hora de comprar o fertilizante?

Deixe sua resposta nos comentários.

Referências

CRUZ, M. C. P. Fertilidade do Solo. Curso de Pós- graduação em Agronomia (Ciência do solo). 2019. Notas de Aula. Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias – Campus de Jaboticabal/ UNESP. Disponível em: https://www.fcav .unesp.br/

RAIJ, B. V. Fertilidade do solo e Manejo de Nutrientes. Piracicaba: International Plant Nutrition Institute, 2011. 420p. Disponível em: http://brasil.ipni.net/ipniweb/region/bras il.nsf/0/40A703B979D0330383257FA80066C007/$FILE/Manual%20Internacional%20de%20Fertilidade%20do%20Solo.pdf

RIBEIRO, A. C., GUIMARÃES, P. T. G., ALVAREZ, V. H. Recomendações para o uso de corretivos e fertilizantes em Minas Gerais: 5ª aproximação. Viçosa, MG: Comissão de Fertilidade do Solo do Estado de Minas Gerais, 1999. 359p.